Livro apresenta um século de autonomia de Santo Amaro



Quinta-feira | 21 de maio, 2020 | 15h30          Publicação conjunta com Alô Tatuapé

 

Recém-lançada pela professora e historiadora Inez Garbuio Peralta, a obra “Santo Amaro: um século de autonomia” apresenta aspectos da história do antigo município de Santo Amaro, explorando o período de pouco mais de um século em que o atual distrito da Capital paulista possuiu autonomia político-administrativa.

 

Bonde elétrico da Light passando pela antiga estação de cargas de Santo Amaro, na Avenida Adolfo Pinheiro. 1916. Foto: acervo FES

 

Ilustrado com imagens do acervo da Fundação Energia e Saneamento, entre outras instituições, o livro aborda as relações sociais, políticas e econômicas estabelecidas na antiga Vila de Santo Amaro, desde a sua elevação, em 1832, até a reincorporação do município à cidade de São Paulo, em 1935.

 

1928 - Trabalhadores no terminal de cargas de Santo Amaro e Igreja Matriz de Santo Amaro vista em 20 de março de 1900. Foto: acervo FES

 

Com ampla pesquisa na documentação da Câmara Municipal de Santo Amaro, a publicação aborda, entre outros assuntos, as disputas de poder e eleições no legislativo e executivo municipal, as dificuldades financeiras e os reflexos de episódios como a Gripe Espanhola e a Revolução de 1924 em Santo Amaro.

 

1926 -
Pedreira em Santo Amaro, de onde foi extraído material para as obras do
atual Shopping Light, no centro de São Paulo. Na foto à direita, locomotiva da Companhia de Carris de Ferro de São Paulo, que fazia o trajeto
até Santo Amaro antes da implantação dos bondes elétricos, vista em 20 de março de 1900. Foto: acervo FES

 

Além disso, destaca a implantação de serviços de infraestrutura urbana como água e energia, dando destaque para as disputas e polêmicas entre a Câmara e a companhia de energia Light, responsável pela construção da represa Guarapiranga e pela implantação de bondes elétricos na região.

Interessados na obra podem entrar em contato pelo e-mail comunicacao@energiaesaneamento.org.br.