Poste a gás centenário é instalado no bairro da Penha, na Capital



Quinta-feira | 21 de maio, 2020 | 16h21          Publicação conjunta com Alô Tatuapé

 

Poste a gás na Penha. Foto: acervo FES


PENHA


Muitas histórias norteiam a formação deste histórico e antigo bairro paulista.

Da Fundação Energia e Saneamento

 

Homens trabalhando em obra na ponte nº4 da linha de bonde elétrico, no bairro Penha de França. 1900. Foto: Acervo FES

 

A quem passa desatento pela Praça Oito de Setembro, no bairro Penha de França, em São Paulo, pode parecer que o novo elemento a compor a paisagem do local, um poste instalado em frente à Escola Estadual Santos Dumont, trata-se de uma réplica dos modelos que, no passado, iluminaram a Capital. O suporte de luz, no entanto, é uma peça original: centenário, o poste de luminária a gás pertenceu à antiga companhia San Paulo Gas Company, responsável pelos serviços de iluminação pública entre 1872 e 1929.

 

Multidão ao redor da linha de bonde elétrico “Penha” em sua inauguração, no Largo do Tesouro. 1901. Foto: Acervo FES

 

Pertencente ao acervo museológico da Fundação Energia e Saneamento, o exemplar foi cedido em comodato à Prefeitura Regional Penha como forma de celebrar o aniversário de 350 anos do bairro, um dos mais antigos de São Paulo. Hoje iluminado por energia elétrica, o poste confeccionado em ferro, latão e vidro era abastecido pelo gás produzido no antigo gasômetro do Brás, conhecido como Casa das Retortas. À época, trabalhadores apelidados de “vagalumes” eram responsáveis por acender e apagar as luminárias todos os dias. Em seu auge, a iluminação a gás da Capital chegou a reunir mais de 10 mil lampiões.

 

Primeiro carro da linha de bonde elétrico “Penha” em sua inauguração, no Largo do Tesouro. 1901. Foto: Acervo FES

 

Formada em 1667, a Penha foi ponto de diversas passagens importantes da história da Capital paulista. Quando foi implantado o serviço de bondes elétricos na cidade - o primeiro do tipo no Brasil -, a linha “Penha” foi uma das pioneiras, inaugurada e celebrada pela população em 27 de janeiro de 1901, e que seguia da antiga Estrada da Penha até o Largo do Tesouro, e vice versa. Durante a Revolução de 1924, o bairro foi nomeado capital da Província (Estado) pelo então governador Carlos de Campos, que se abrigou na região durante o conflito, após bombardeios no Palácio dos Campos Elíseos.

 

Festa no Largo Bernardino de Campos, no ano de inauguração da linha de bonde elétrico “Penha”. 1901. Foto: Acervo FES